Corrompidos (parte 2)… e errando o alvo

A Bíblia nos descreve como corrompidos da imagem que Deus nos criou. Como isto aconteceu? Isto está registrado na Bíblia no livro de Gênesis. Logo apos sermos criados à ‘imagem de Deus’  os primeiros humanos (Adão e Eva) foram testados com uma escolha. A Bíblia descreve a conversa do casal com uma ‘serpente’.  Sempre se entendeu que a serpente é Satanás – um espirito inimigo de Deus. Na Bíblia, Satanás comumente fala através de alguém. Neste caso ele falou através de uma serpente:

Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito. E ela perguntou à mulher: “Foi isto mesmo que Deus disse: ‘Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim’?”

Respondeu a mulher à serpente: “Podemos comer do fruto das árvores do jardim, mas Deus disse: ‘Não comam do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem toquem nele; do contrário vocês morrerão’ ”.

Disse a serpente à mulher: “Certamente não morrerão! Deus sabe que, no dia em que dele comerem, seus olhos se abrirão, e vocês, como Deus[a], serão conhecedores do bem e do mal”.

Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu a seu marido, que comeu também.  (Gênesis 3:1-6)

Sua escolha (e tentação) foi que eles poderiam ‘ser como Deus’. Até esse ponto eles haviam confiado em Deus para tudo, mas agora eles tinham a escolha de se tornar ‘como Deus’, para confiar em si mesmos e se tornar seus próprios deuses.

Em sua escolha de serem independentes eles foram mudados. Eles sentiram-se envergonhados e tentaram se cobrir. Quando Deus confrontou Adão, ele culpou Eva (e Deus que a havia criado). Ela culpou a serpente. Ninguém aceitou a responsabilidade.

O que começou aquele dia tem continuado porque herdamos a mesma natureza independente. Alguns entendem a Bíblia de maneira equivocada e pensam que somos culpados pela péssima escolha de Adão. O único culpado é Adão, mas vivemos nas consequências de sua decisão. Agora temos herdado esta natureza independente de Adão. Podemos não querer ser deus do universo, mas queremos ser deuses em nossos contextos, separados de Deus.

Isto explica muito da vida humana: trancamos nossas portas, precisamos da policia e temos senhas em nossos computadores – pois do contrario nós roubaríamos uns aos outros. É por isso que as sociedades, por fim, se acabam – pois as culturas têm uma tendência de se deteriorar. É por isso que todas as formas de governo e sistemas econômicos, apesar de alguns funcionarem melhor que outros, eles todos, por fim, desmoronam. Algo acerca da maneira que somos nos faz errar e não vivermos as coisas como elas deveriam ser.

A palavra ‘errar’ sintetiza nossa situação. Um versículo da Bíblia nos oferece um exemplo para entender isso melhor. O versículo diz:

Dentre todos esses soldados havia setecentos canhotos, muito hábeis, e cada um deles podia atirar com a funda uma pedra num cabelo sem errar. (Juízes 20:16)

O versículo descreve soldados que são especialistas no manuseio de fundas e que jamais erravam. A palavra acima em hebraico traduzida por ‘errar’ é יַחֲטִֽא. Ela também é traduzida como pecado no Antigo Testamento.

O soldado pega uma pedra e a atira no alvo. Se ele errar ele fracassou em seu propósito. Da mesma forma, fomos criados à imagem de Deus para acertarmos o alvo acerca de como nos relacionamos com Ele tratamos as demais pessoas. ‘Pecar’ é errar o propósito, ou o alvo, que era o nosso objetivo.

O exemplo do alvo que foi errado não é um exemplo feliz ou otimista. As pessoas, às vezes, reagem fortemente contra o ensino bíblico sobre o pecado.  Um universitário certa vez me disse: “Eu não acredito porque não gosto do que a Bíblia está dizendo”. Mas o que ‘gostar’ tem a ver com a verdade? Eu não gosto de impostos, guerras ou terremotos – ninguém gosta – mas isso não transforma tais coisas em mentira. Não podemos ignorar nenhuma dessas coisas. Todos os sistemas de leis, de policiais ou de travas e de seguranças que implementamos na sociedade para nos proteger uns dos outros sugere que algo está errado. Esse ensino bíblico acerca do pecado deveria ser, ao menos, considerado a partir de uma mente aberta.

Nós temos um problema. A imagem da qual fomos primeiramente criados está corrompida, e agora erramos o alvo em se tratando de ações morais. Mas Deus não nos deixou em nossa impotência. Ele teve um plano de nos resgatar, e é por isso que o Evangelho literalmente significa ‘boas novas’ – pois este plano é as boas novas que Ele nos salva. Deus não esperou até Abraão para anunciar estas noticias; ele primeiro a anunciou na conversa com Adão e Eva. Veremos a seguir este primeiro anúncio das Boas Novas.

 

1 pensamento em “Corrompidos (parte 2)… e errando o alvo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *