Feitos à Imagem de Deus

Podemos usar a Bíblia para entender de onde viemos? Muitos dizem ‘não’, mas existe muita coisa acerca de nós que faz sentido à luz do que a Bíblia diz. Por exemplo, considere o que a Bíblia ensina acerca de nossas origens. O primeiro capitulo diz:

Então disse Deus: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança… Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Genesis 1:26-27)

À Imagem de Deus

O que quer dizer que a humanidade foi criada ‘à imagem de Deus’? Isto não quer dizer que Deus tem dois braços e uma cabeça. Antes, isto quer dizer que nossas características básicas vêm de Deus. Na Bíblia, Deus pode se entristecer, se machucar, ficar bravo ou alegre – as mesmas emoções que temos. Fazemos escolhas e tomamos decisões todos os dias. Deus também faz escolhas e toma decisões. Podemos pensar e Deus também pensa. Ser feito à imagem de Deus’ significa que temos uma mente, emoções e vontade porque Deus tem mente, emoções e vontade e Ele nos criou para sermos como ele nestes aspectos. Ele é a fonte do que encontramos em nós.

Estamos conscientes de nós mesmos e de ‘eu’ e ‘você’. Não somos coisas impessoais. Somos assim porque Deus nos criou desta forma. O Deus da Bíblia não é uma entidade impessoal como a ‘Força’ no filme Guerra nas Estrelas e nem nós somos assim, pois fomos criados à Sua imagem’.

Por que gostamos da beleza?

Nós também valorizamos a arte, dramaturgia e a beleza. Precisamos de beleza, música e livros ao nosso redor. A música enriquece nossas vidas e nos faz dançar. Amamos boas estórias porque estórias têm heróis, vilões, drama e as grandes estórias colocam estes heróis, vilões e drama em nossas imaginações. Usamos a arte em suas muitas formas para entreter, relaxar e nos revigorar porque Deus é um artista e nós somos sua imagem. É uma pergunta que vale a pena ser feita. Por que buscamos a beleza, drama, música, dança, natureza ou literatura? Daniel Dennett, um ateu convicto e uma autoridade sobre o funcionamento do cérebro, responde a partir de uma perspectiva não bíblica:

“Mas a maior parte desta pesquisa ainda ignora a música. Ela raramente indaga: Por que a música existe? Existe uma resposta curta, e ela é verdadeira ate onde se propõe responder: ela existe porque a amamos e, portanto, continuamos a criar mais música. Mas por que a amamos? Por que nós a consideramos bonita. Mas por que achamos a música bonita? Esta é uma ótima questão e uma questão completamente biológica, mas ela ainda não tem uma resposta adequada”. (Daniel Dennett.  Breaking the Spell: Religion as a Natural Phenomenon.  p. 43)

Não existe resposta clara separada de Deus sobre por que todas as formas de arte nos são tão importantes. A partir do ponto de vista bíblico isso se dá porque Deus criou coisas belas e curte a beleza. Nós, criados à sua imagem, somos iguais a Ele. O ensino bíblico explica nosso amor pela arte.

Porque somos morais

Ser ‘feito à imagem de Deus’ explica nossa capacidade moral. Entendemos o que é um comportamento ‘errado’ e um comportamento ‘certo’ – ainda que nossas línguas e culturas sejam bastante diferentes. O raciocínio moral esta ’em’ nós. Conforme o famoso ateu Richard Dawkins coloca:

“Conduzir nossos julgamentos morais é uma gramática universal… Assim como a língua, os princípios que constituem nossa gramática moral voam acima do radar de nossa consciência” (Richard Dawkins, The God Delusion, p. 223)

Dawkins explica que nossa consciência de certo e errado está embutida em nós como nossa habilidade de ter uma língua, mas é difícil para ele explicar, apenas a partir de fontes físicas, porque temos isto. Equívocos acontecem quando não reconhecemos Deus como nos dando nossa bússola moral. Veja, por exemplo, esta nova objeção de Sam Harris, outro ateu famoso:

 “Se você estiver certo em acreditar que a fé religiosa oferece a única base real para a moralidade, então os ateus devem ser inferiores aos crentes”. (Sam Harris. 2005. Letter to a Christian Nation p.38-39)

Harris entende errado. Falando biblicamente, nosso sentido de moralidade vem do fato de sermos feitos à imagem de Deus, não a partir de sermos religiosos. E é por isso que os ateus, assim como todas as demais pessoas, possuem esse sentido moral e agem moralmente. Os ateus não entendem porque somos assim.

Porque somos tão relacionais

Biblicamente, o ponto de partida para entender a nós mesmos é reconhecer que somos feitos à imagem de Deus. Não é difícil perceber a importância que as pessoas colocam nos relacionamentos. É normal assistir a um bom filme, mas é muito melhor ver o filme com um (a) amigo (a). Nós naturalmente procuramos amigos e parentes para compartilhar experiências e melhorar nosso bem estar. Por outro lado, a solidão e famílias divididas e amizades nos estressam. Se somos a imagem de Deus, então esperamos encontrar essa mesma ênfase em Deus – e encontramos. A Bíblia diz que “Deus é amor…” (1 João 4:8). A Bíblia muito diz acerca da importância que Deus coloca em nosso amor por ele e pelas outras pessoas – esses tipos de amor são chamados na Bíblia como os dois mandamentos mais importantes da Bíblia. Quando você pensa a respeito disso, o Amor deve ser relacional uma vez que ele exige ao menos duas pessoas.

Portanto, devemos pensar em Deus como alguém que ama. Se apenas pensarmos nele como um ‘Ser Benevolente ’ não estamos pensando no Deus bíblico – antes criamos um deus a partir de nossas mentes. Ainda que Ele seja isto, Ele também é apaixonado por relacionamento. Ele não ‘tem’ amor. Ele ‘é’ amor. Os dois exemplos bíblicos mais conhecidos do relacionamento de Deus com as pessoas são aquele de um pai com seus filhos e de um marido com sua esposa. Estes não são relacionamentos distantes, mas são os mais profundos e mais íntimos dos relacionamentos humanos.  A Bíblia diz que Deus é assim.

Dessa forma, eis o que aprendemos até agora.  As pessoas foram criadas à imagem de Deus, querendo dizer, com mente, emoções e vontade. Estamos conscientes de nós mesmos e dos outros. Sabemos a diferença entre o certo e o errado. Podemos apreciar a beleza, a dramaturgia, arte e estória em todas as suas formas e iremos, naturalmente, buscar e desenvolver relacionamentos e amizades com outras pessoas. Somos tudo isso porque Deus é tudo isso e somos feitos à imagem de Deus. A seguir continuaremos a explicação bíblica do motivo pelo qual nossos relacionamentos quase sempre nos desapontam e porque Deus parece tão distante e porque nossos anseios jamais parecem se realizar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *