O discurso de despedida de Moisés: A história seguindo sua própria norma

As bênçãos e maldições de Moisés

Moisés viveu há cerca de 3500 anos e escreveu os primeiros cinco livros da Bíblia – conhecidos como Pentateuco ou Torá. Seu quinto livro, Deuteronômio, contem suas ultimas proclamações feitas entes de sua morte. Estas foram suas bênçãos ao povo de Israel – os judeus, mas também suas maldições. Moisés escreveu que estas bênçãos e maldições moldariam a história e seriam refletidas não apenas pelos judeus, mas por todas as demais nações. Então, isto foi escrito para você e para mim, para que pensamos sobre isto. As bênçãos e maldições completas estão aqui. Eu sintetizo abaixo os principais pontos.

As bênçãos de Moisés

Moisés começou descrevendo as bênçãos que os israelitas receberiam caso obedecessem a Lei. A lei fora dada nos primeiros livros e incluíam os Dez Mandamentos. As bênçãos vinham de Deus e seriam tamanhas que todas as demais nações reconheceriam Sua benção. O resultado destas bênçãos seria que:

Então todos os povos da terra verão que vocês pertencem ao Senhor e terão medo de vocês.  (Deuteronômio 28:10)

… e as maldições

Contudo, caso os israelitas fracassassem em obedecer aos Mandamentos, eles então receberiam maldições correspondentes às bênçãos. Estas maldições seriam vistas pelas nações circunvizinhas de maneira que:

Vocês serão motivo de horror e objeto de zombaria e de riso para todas as nações para onde o Senhor os levar. (Deuteronômio 28:37)

E as maldições se estenderiam por toda a história:

Essas maldições serão um sinal e um prodígio para vocês e para os seus descendentes para sempre. (Deuteronômio 28:46)

Mas Deus advertiu que a pior parte das maldições viria de outras nações:

O Senhor trará de um lugar longínquo, dos confins da terra, uma nação que virá contra vocês como a águia em mergulho, nação cujo idioma não compreenderão, nação de aparência feroz, sem respeito pelos idosos nem piedade para com os moços. Ela devorará as crias dos seus animais e as plantações da sua terra até que vocês sejam destruídos… Ela sitiará todas as cidades da sua terra, até que caiam os altos muros fortificados em que vocês confiam. Sitiará todas as suas cidades, em toda a terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá. (Deuteronômio 28:49-52)

Iria de mal a pior:

Vocês serão desarraigados da terra em que estão entrando para dela tomar posse. Então o Senhor os espalhará pelas nações, de um lado ao outro da terra.  No meio daquelas nações vocês não encontrarão repouso, nem mesmo um lugar de descanso para a sola dos pés. Lá o Senhor lhes dará coração desesperado, olhos exaustos de tanto esperar, e alma ansiosa. (Deuteronômio 28:63-65)

Estas bênçãos e maldições foram estabelecidas por uma aliança (um acordo) entre Deus e os israelitas:

… aliança que ele está fazendo com vocês hoje, selando-a sob juramento, para hoje confirmá-los como seu povo, para que ele seja o seu Deus, conforme lhes prometeu e jurou aos seus antepassados, Abraão, Isaque e Jacó. Não faço esta aliança, sob juramento, somente com vocês que estão aqui conosco na presença do Senhor, o nosso Deus, mas também com aqueles que não estão aqui hoje. (Deuteronômio 29:12-15)

Em outras palavras, esta aliança estaria atrelada aos filhos, ou gerações futuras. Na verdade, esta aliança estava direcionada às gerações futuras – tanto de israelitas quanto estrangeiros.

… as desgraças que terão caído sobre a terra e as doenças com que o Senhor a terá afligido. A terra inteira será um deserto abrasador de sal e enxofre, no qual nada que for plantado brotará, onde nenhuma vegetação crescerá. Todas as nações perguntarão: ‘Por que o Senhor fez isto a esta terra? Por que tanta ira e tanto furor?’ (Deuteronômio 29:22-24)

 E a resposta será:

Foi porque este povo abandonou a aliança do Senhor, o Deus dos seus antepassados, aliança feita com eles quando os tirou do Egito. Eles foram adorar outros deuses… Por isso a ira do Senhor acendeu-se contra esta terra, e ele trouxe sobre ela todas as maldições escritas neste livro. (Deuteronômio 29:25-27)

As bênçãos e maldições aconteceram?

Nada neutro acerca delas. As bênçãos eram agradáveis, mas as maldições eram completamente severas. Contudo, a pergunta mais importante que podemos fazer é: ‘Elas aconteceram?’ A resposta não é difícil de encontrar. Muito do Antigo Testamento é o registro dos israelitas e a partir do que podemos ver o que acontece em sua história.  Também temos registros fora do Antigo Testamento, de historiadores judeus como Josefo, historiadores greco-romanos como Tácito e encontramos muitos monumentos arqueológicos.  Todas estas fontes concordam e pintam um retrato consistente da história israelita ou judaica. Um resumo desta história, dado através da construção e uma linha do tempo, é disponibilizado aqui. Leia e verifique você mesmo se as bênçãos e maldições aconteceram.

A conclusão das bênçãos e maldições de Moisés

Mas este discurso de despedida de Moisés não terminou com as maldições. Ele continuou. Aqui vemos como Moisés fez seu pronunciamento final:

Quando todas essas bênçãos e maldições que coloquei diante de vocês lhes sobrevierem, e elas os atingirem onde quer que o Senhor, o seu Deus, os dispersar entre as nações, e quando vocês e os seus filhos voltarem para o Senhor, o seu Deus, e lhe obedecerem de todo o coração e de toda a alma, de acordo com tudo o que hoje lhes ordeno, então o Senhor, o seu Deus, lhes trará restauração, terá compaixão de vocês e os reunirá novamente de todas as nações por onde os tiver espalhado. Mesmo que tenham sido levados para a terra mais distante debaixo do céu, de lá o Senhor, o seu Deus, os reunirá e os trará de volta. Ele os trará para a terra dos seus antepassados, e vocês tomarão posse dela. Ele fará com que vocês sejam mais prósperos e mais numerosos do que os seus antepassados. (Deuteronômio 30:1-5)

Após Moisés, sucessivos escritores no Antigo Testamento continuaram com esta promessa de que ele havia primeiramente começou – de que haveria uma restauração após as maldições. Ezequiel fez uso da imagem de zumbis mortos retornado à vida para pintar um retrato vivido disto para nós. Estes escritores posteriores fizeram predições ousadas, perturbadoras e detalhadas. Juntos eles fazem um incrível conjunto de predições que estão acontecendo hoje.

 

Qual é a história do povo judeu?

Os judeus são uns dos povos mais antigos do mundo. Sua história está registrada na Bíblia, por historiadores fora da Bíblia e através da arqueologia. Temos mais fatos acerca de sua história do que qualquer outra nação. Nós utilizaremos esta informação para sintetizar sua história. A fim de tornarmos a história dos israelitas (uma palavra veterotestamentária para o povo judeu) mais fácil de ser acompanhada, utilizaremos uma linha do tempo.

Abraão: O início da árvore genealógica judaica

A linha do tempo começa com Abraão. Ele recebeu uma promessa de nações  se originando dele e teve encontros com Deus  culminando no  sacrifício simbólico de seu filho Isaque.  O sacrifício foi um sinal apontando para Jesus ao marcar o futuro local onde Jesus seria sacrificado. A linha do tempo em verde continua quando os descendentes de Isaque foram escravos no Egito. Este período de tempo começou quando José, neto de Isaque, conduziu os israelitas ao Egito, onde posteriormente eles se tornariam escravos.

Vivendo no Egito como escravos de Faraó
Vivendo no Egito como escravos de Faraó

Moisés: Os israelitas se tornam uma nação sob Deus

Moisés liderou os israelitas para fora do Egito pela  Praga da Pascoa, que destruiu o Egito e permitiu o êxodo israelita do Egito para a terra de Israel. Antes de ele morrer, Moisés anunciou  Bênçãos e Maldições sobre os israelitas (quando a linha do tempo vai de verde para amarelo). Eles seriam abençoados se obedecessem a Deus, mas experimentariam maldições caso não obedecessem. Estas bênçãos e maldições seguiriam o povo judeu muito tempo depois.

Por várias centenas de anos os israelitas viveram em sua terra, mas eles não tinham um rei, nem tinham a cidade capital de Jerusalém –  ela pertencia a outro povo nesta época. Contudo, com o rei Davi por volta de 1000 (A.C.) isto mudou.

Vivendo com os reis davídicos governando a partir de Jerusalém
Vivendo com os reis davídicos governando a partir de Jerusalém

Davi estabelece a dinastia real em Jerusalém

Davi conquistou Jerusalém e a transformou em sua capital. Ele recebeu a promessa de um ‘Cristo’ que viria  e daquele tempo em diante o povo judeu passou a esperar o ‘Cristo’ que viria.  Seu filho Salomão lhe sucedeu e Salomão construiu o Primeiro Templo Judeu em Jerusalém. Os descendentes do rei Davi continuaram a governar por cerca de 400 anos e este período é mostrado na cor azul-agua (1000 – 600 A.C.). Este foi o período da gloria de Israel – eles alcançaram as bênçãos prometidas.  Eles eram uma nação poderosa, tiveram uma sociedade e cultura avançada e o seu templo. Mas o Antigo Testamento também descreve sua crescente corrupção e adoração a ídolos durante esta fase. Muitos profetas neste período advertiram os israelitas que as maldições de Moisés viriam sobre eles caso eles não mudassem. Mas estas advertências foram ignoradas.

O primeiro exílio para a Babilônia

Finalmente, por volta de 600 (A.C.) as maldições vieram sobre eles. Nabucodonosor, um poderoso rei babilônio veio – assim como Moisés havia predito 900 anos antes quando ele escreveu esta maldição:

O Senhor trará, de um lugar longínquo, dos confins da terra, uma nação que virá contra vocês… nação de aparência feroz, sem respeito pelos idosos nem piedade para com os moços… Ela sitiará todas as cidades da sua terra (Deuteronômio 28:49-52)

Nabucodonosor conquistou Jerusalém, a queimou e destruiu o Templo que Salomão havia construído. Ele então exilou os israelitas para a Babilônia. Somente os israelitas pobres ficaram para trás.   Isso cumpriu as predições de Moisés de que

Vocês serão desarraigados da terra em que estão entrando para dela tomar posse. Então o Senhor os espalhará pelas nações, de um lado ao outro da terra. (Deuteronômio 28:63-64)

Conquistados e exilados para a Babilônia
Conquistados e exilados para a Babilônia

Então, por 70 anos, o período mostrado em vermelho, os israelitas viveram como exilados fora da terra prometida a Abraão e seus descendentes.

Retorno do exílio sob os persas

Apos isto, o imperador persa Ciro conquistou a Babilônia e tornou-se a pessoa mais poderosa do mundo. Ele então permitiu que os israelitas retornassem a sua terra.

Vivendo na Terra como parte do Império Persa
Vivendo na Terra como parte do Império Persa

Contudo, eles já não eram mais um pais independente, eles agora eram uma província no Império Persa. Isto continuou por 200 anos e esta em rosa na linha do tempo. Durante este tempo o Tempo Judeu (conhecido como o Segundo Templo) e a cidade de Jerusalém foram reconstruídos.

O período dos gregos

Então Alexandre, o Grande, conquistou o Império Persa e transformou os israelitas em uma província nos impérios gregos por mais 200 anos.  Esta fase está em azul escuro.

Vivendo na Terra como parte dos Impérios Gregos
Vivendo na Terra como parte dos Impérios Gregos

O período dos romanos

Então os romanos derrotaram os impérios gregos e se tornaram a potência mundial dominante. Os israelitas novamente se tornaram uma província neste império e isto se vê no amarelo claro. Este é o período em que Jesus viveu. Isto explica porque existem soldados romanos nos evangelhos – porque os romanos dominavam os judeus na Terra de Israel durante a vida de Jesus.

Vivendo na Terra como parte do Império Romano
Vivendo na Terra como parte do Império Romano

O segundo exílio judaico sob os romanos

A partir do tempo dos babilônios (600 A.C.) os israelitas (ou judeus, como eles eram chamados agora) não tinham usufruído de independência conforme tinham sob o rei Davi). Eles eram agora governados por outros impérios. Os judeus ressentiram tal fato e se revoltaram contra o governo romano. Os romanos vieram e destruíram Jerusalém (70 A.C.), destruíram o Segundo Templo, e deportaram os judeus como escravos por todo o Império Romano. Este foi o segundo exílio judaico. Uma vez que Roma era muito grande os judeus foram espalhados por todo o mundo.

Jerusalém e o Templo destruídos em 70 A.C. Judeus espalhados como exilados por todo mundo
Jerusalém e o Templo destruídos em 70 A.C. Judeus espalhados como exilados por todo mundo

 

E foi assim que o povo judeu viveu por quase 2000 anos: dispersos em terras estrangeiras e jamais aceitos nestas terras. Nestas diferentes nações eles comumente sofreram grandes perseguições. Desde a Espanha, na Europa Ocidental, a Rússia, os judeus viveram frequentemente em situações perigosas nestes reinos cristãos. As maldições de Moisés cerca de 1500 A.C. foram descrições acuradas de como Israel viveu.

No meio daquelas nações vocês não encontrarão repouso, nem mesmo um lugar de descanso para a sola dos pés. Lá o Senhor lhes dará coração desesperado, olhos exaustos de tanto esperar, e alma ansiosa. (Deuteronômio 28:65)

As maldições contra os israelitas foram dadas para fazer os povos se perguntarem:

Todas as nações perguntarão: ‘Por que o Senhor fez isto a esta terra? Por que tanta ira e tanto furor?’ (Deuteronômio 29:24)

E a resposta era:

Cheio de ira, indignação e grande furor, o Senhor os desarraigou da sua terra e os lançou numa outra terra, como hoje se vê’. (Deuteronômio 29:28)

A linha do tempo abaixo mostra este período de 1900 anos. Este período é mostrado na longa barra vermelha.

Linha do Tempo histórica dos judeus – apresentando seus dois períodos de exílio
Linha do Tempo histórica dos judeus – apresentando seus dois períodos de exílio

Você pode ver que em sua história o povo judeu experimentou dois períodos de exílio, mas o segundo exílio foi muito maior que o primeiro.

O Holocausto do século 20

Então as perseguições contra os judeus alcançaram seu pico quando Hitler, através da Alemanha nazista, tentou exterminar todos os judeus vivendo na Europa. Ele quase foi bem-sucedido, mas foi derrotado e um remanescente de judeus sobreviveu.

Renascimento moderno de Israel

O simples fato de que havia pessoas que se identificavam como ‘judeus’ após muitas centenas de anos sem uma terra é incrível.  Mas isto permitiu que as ultimas palavras de Moisés, escritas há 3500 anos, se cumprissem. Em 1948 os judeus, através das Nações Unidas, viram o impressionante renascimento do estado de Israel, conforme Moisés havia escrito séculos atrás:

…então o Senhor, o seu Deus, lhes trará restauração, terá compaixão de vocês e os reunirá novamente de todas as nações por onde os tiver espalhado. Mesmo que tenham sido levados para a terra mais distante debaixo do céu, de lá o Senhor, o seu Deus, os reunirá e os trará de volta. (Deuteronômio 30:3-4)

Também foi impressionante uma vez que este estado foi construído apesar de grande oposição. A maioria das nações circunvizinhas fez guerra contra em Israel em 1948… em 1956… em 1967 e novamente em 1973. Israel, uma nação muito pequena, geralmente estava em guerra com cinco nações ao mesmo tempo. Contudo, não apenas Israel sobreviveu como também seu território aumentou. Na guerra de 1967 os judeus reganharam Jerusalém, sua capital histórica que Davi fundou 3000 anos atrás. O resultado da criação do estado de Israel, e as consequências destas guerras criaram os problemas políticos mais difíceis de nosso tempo.