Natal – A História do Nascimento de Jesus

  • por

O Natal é distinguido como um festival global primário, celebrado por nações ao redor do mundo. As celebrações de Natal são repletas de música, comida, decorações e presentes – enquanto a maneira exata de comemorar varia de nação para nação. Mas em seu núcleo histórico, o Natal celebra o nascimento de um menino judeu pobre nascido há pouco mais de 2000 anos.

A essência única do Natal torna-se irônica quando percebemos que as pessoas que ignoram as celebrações do Natal são os judeus; as mesmas pessoas de quem este menino judeu nasceu, que deu origem à tradição. A intriga por si só faz valer a pena explorar a história do Natal, que é o que faremos aqui.

A História do Nascimento Judaico: Melhor que o Papai Noel

Quase todos os personagens que compõem o drama em torno do nascimento desse menino eram judeus. Um dos dois historiadores que documentaram a história também era judeu.

A história do nascimento de Jesus é rica em imagens

A intriga, o suspense e a celebração em torno do nascimento deste bebê judeu, registrado por um levita judeu, pinta os complementos de Natal posteriores como o Papai Noel, o Polo Norte e os elfos na oficina do Papai Noel, pálidos em comparação.

Levi, também conhecido como Mateus, queria que soubéssemos com certeza que o bebê sobre quem ele escreveu era judeu. Então, ele começou seu relato com esta frase – a primeira frase em seu evangelho e no Novo Testamento.

1 Livro da geração de Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão.

Mateus 1:1

Jesus, Davi e Abraão em uma linha do tempo histórica

Ele não apenas era filho de Abraão como todos os judeus são, mas também era descendente do renomado Rei Davi! Que outro tema poderia evocar maior expectativa? Certamente não o Papai Noel.

O Nascimento de Jesus Contado

Quais foram as circunstâncias em torno do nascimento de Jesus? Mateus nos conta em detalhes impressionantes.

18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. 19 Então, José, seu marido, como era justo e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. 20 E, projetando ele isso, eis que, em sonho, lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. 21 E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. 22 Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: 23 Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel. (Emanuel traduzido é: Deus conosco). 24 E José, despertando do sonho, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher, 25 e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe o nome de Jesus.

Mateus 1:18-25

O Nascimento Virgem

Mateus rapidamente nos leva a uma profunda polemica, pois ele nos diz com certeza que Maria era virgem quando deu à luz. Lucas, outro escritor do Evangelho, fornece mais detalhes sobre o evento.

E aconteceu, naqueles dias, que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse. (Este primeiro alistamento foi feito sendo Cirênio governador da Síria.) E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. E subiu da Galileia também José, da cidade de Nazaré, à Judeia, à cidade de Davi chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), a fim de alistar-se com Maria, sua mulher, que estava grávida. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.

Os pastores de Belém

Ora, havia, naquela mesma comarca, pastores que estavam no campo e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho. E eis que um anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. 10 E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo, 11 pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 12 E isto vos será por sinal: achareis o menino envolto em panos e deitado numa manjedoura. 13 E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo: 14 Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens! 15 E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos fez saber. 16 E foram apressadamente e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura. 17 E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita. 18 E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam. 19 Mas Maria guardava todas essas coisas, conferindo-as em seu coração. 20 E voltaram os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.

Lucas 2:1-20

Surpreendentemente, Fontes judaicas revelam sua crença no nascimento virginal. O tema do nascimento virginal remonta ao Adão e Eva, sua natureza milagrosa prefigurado no nascimento de Isaque.

Detalhes de Lucas sobre o nascimento de Jesus

Pastores humildes vêm ver o Rei

Lucas continua os eventos do nascimento de Jesus:

Naqueles dias César Augusto emitiu um decreto que deveria ser feito um censo de todo o mundo romano. 2 (Este foi o primeiro censo realizado enquanto Quirino era governador da Síria.) 3 E cada um foi para sua própria cidade se registrar.

4 Assim José também saiu da cidade de Nazaré da Galiléia à Judéia, a Belém, cidade de Davi, porque ela pertencia a casa e linhagem de Davi. 5 Ele foi lá para se registrar com Maria, que estava prometida em casamento a ele e estava esperando um

filho. 6 Enquanto eles estavam lá, chegou a hora do bebê nascer, 7 e ela deu à luz seu primogênito, um filho. Ela o envolveu em panos e o colocou em uma manjedoura, porque não havia quarto de hóspedes disponível para eles.

P A STO R E S NO NA SCIME NTO D E JE SUS

E aconteceu, naqueles dias, que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse. (Este primeiro alistamento foi feito sendo Cirênio governador da Síria.) E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. E subiu da Galileia também José, da cidade de Nazaré, à Judeia, à cidade de Davi chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), a fim de alistar-se com Maria, sua mulher, que estava grávida. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.

Os pastores de Belém

Ora, havia, naquela mesma comarca, pastores que estavam no campo e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho. E eis que um anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. 10 E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo, 11 pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 12 E isto vos será por sinal: achareis o menino envolto em panos e deitado numa manjedoura. 13 E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo: 14 Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens! 15 E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos fez saber. 16 E foram apressadamente e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura. 17 E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita. 18 E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam. 19 Mas Maria guardava todas essas coisas, conferindo-as em seu coração. 20 E voltaram os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.

Lucas 2:1-20

Os Reis Magos visitam Belém

A visita dos Reis Magos costuma ser incluída na História da Natividade. Mateus escreve:

E, tendo nascido Jesus em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém, e perguntaram: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos a adorá-lo. E o rei Herodes, ouvindo isso, perturbou-se, e toda a Jerusalém, com ele. E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá, porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo de Israel. Então, Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino, e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore. E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. 10 E, vendo eles a estrela, alegraram-se muito com grande júbilo. 11 E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro, incenso e mirra.

Mateus 2:1-11
Os Magos de longe vêm ver o Rei

Os magos não-judeus vêm de longe para encontrar o ‘Rei dos Judeus’. Enquanto isso, o governo judaico, liderado por Herodes, o Grande, fica “perturbado” com a notícia do nascimento de seu rei. Isso prevê um padrão que tem permanecido intacto nos últimos 2000 anos.

A vinda de Jesus através de uma lente judaica

Na verdade, o relato do nascimento de Jesus no Natal continua a narrativa que o retrata como o arquétipo do judeu que abençoaria todos os povos – inclusive eu e você. Dois mil anos antes, começando com a história de Abraão (em 2000 AEC), Deus havia prometido

E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.

Gênesis 12:3

Isso colocou Abraão em uma peregrinação à Terra Prometida em sua velhice. No entanto, muitos anos se passaram antes que seu filho Isaque nascesse.

O nascimento de Isaque durante o centésimo ano de Abraão foi tão milagroso quanto o nascimento virginal de Jesus. O nascimento de Jesus espelha o de Isaque para enfatizar esse arquétipo do papel judaico.

R E ITE R A D O A T R A V É S D E P R O F E TA S JU D E US

A esperança de uma bênção futura para todos os povos teve uma virada decisiva séculos depois, quando Deus, por meio do profeta Isaías (700 AC), convocou todas as nações a:

Jesus, Isaías e Davi em uma linha do tempo histórica

49 Ouvi-me, ilhas, e escutai vós, povos de longe! O Senhor me chamou desde o ventre, desde as entranhas de minha mãe, fez menção do meu nome.

Isaías 49:1

E me disse: Tu és meu servo, e Israel, aquele por quem hei de ser glorificado.

Isaías 49:3

Disse mais: Pouco é que sejas o meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os guardados de Israel; também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra.

Isaías 49:6

Assim diz o Senhor, o Redentor de Israel, o seu Santo, à alma desprezada, ao que as nações abominam, ao servo dos que dominam: Os reis o verão e se levantarão; os príncipes diante de ti se inclinarão, por amor do Senhor, que é fiel, e do Santo de Israel, que te escolheu.

Isaías 49:7

O Natal revela o duplo cumprimento desta ‘bênção’, pois as nações em todo o mundo celebram o Natal enquanto o próprio povo de Jesus não o reconhece.

Além disso, muitos de nós nas nações não entendem mais o significado de Jesus ou de sua missão. Podemos lembrá-lo no Natal, mas, fora isso, ele continua sendo um resquício cultural da era pré-científica europeia.

Explorando Jesus através de sua lente judaica

Talvez uma parte do problema esteja relacionada às nações dentro da cristandade que não mais percebem Jesus de uma perspectiva judaica. Quando Mateus e Lucas começaram o relato de seu nascimento, os quatro evangelhos prosseguiram neste retrato inteiramente judaico de Jesus.

Ao fazê-lo, os evangelhos propõem uma hipótese audaciosa de que Jesus encarna toda a nação de Israel. Do ponto de vista deles, Jesus é o arquétipo, projeto mestre, cumprimento ou conclusão de Israel.

Embora, esta hipótese pode encontrar apoio? Que diferença faz para nós?

Explorar Jesus através dessa lente judaica torna sua pessoa e missão vívidas, reais e pessoalmente relevantes, em vez de desbotadas e remotas como parece ser para muitos de nós. Jesus se destaca no contexto de um Plano Divino.

Podemos, assim, nos envolver com ele de uma maneira que o torna grande e semelhante à vida como ele era para seus contemporâneos – permitindo-nos a compreender o que significa sua prometida ‘bênção’ e ‘luz para as nações’.

Então continuamos explorando Jesus através dessa lente judaica. Nós revisamos a ligação entre o seu nascimento e o do primeiro israelita – Isaque, sugerindo o papel de Jesus com sua nação. Então continuamos com seu vôo infantil para a sobrevivência, ilustrado na história de Anne Frank, avançando ainda mais seu papel de abençoar todas as pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *